12323 Como o produtor de "Harlem Shake" está fazendo dinheiro com o meme gigante - Oene
beta

Como o produtor de “Harlem Shake” está fazendo dinheiro com o meme gigante


Baauer, o produtor da música “Harlem Shake”, provavelmente não esperava que seu remix viralizasse mais de um ano depois do seu lançamento e muito menos que ele se tornaria um enorme meme do Youtube. Porém, a internet é imprevisível e as ideias malucas que surgem nela também. Há cerca de duas semanas um grupo de […]

Baauer, o produtor da música “Harlem Shake”, provavelmente não esperava que seu remix viralizasse mais de um ano depois do seu lançamento e muito menos que ele se tornaria um enorme meme do Youtube. Porém, a internet é imprevisível e as ideias malucas que surgem nela também. Há cerca de duas semanas um grupo de amigos filmou uma dança psicótica ao som de “Harlem Shake” e postou o vídeo no Youtube. Outras pessoas copiaram a ideia e agora as visualizações das milhares de versões, assim como o número de novos vídeos, não param de crescer. Baauer e o selo de gravação do qual faz parte, Mad Decent, poderiam quebrar a cabeça tentando descobrir como ganhar dinheiro com o fenômeno, assustados com tanta gente se apropriando do seu conteúdo. No lugar disso, pensaram que talvez não devessem remar contra a correnteza doida da internet, mas sim surfar nela: Baauer e a Mad Decent “monetizaram” as visualizações de “Harlem Shake” e, provavelmente, ficarão muito ricos com isso. Sem processos, e sem precisar postar mais dezenas de milhares de vídeos. Apenas com a ajuda da tecnologia.

Segundo esta reportagem da Billboard, assim que viu o meme crescendo, a Mad Decent contratou a INDmusic, uma empresa que presta serviço a diversas bandas indies administrando da geração de renda por trás dos acessos aos vídeos no Youtube. A INDmusic utiliza como ferramenta o ContentID do Youtube, tecnologia que ajuda a identificar material protegido por direitos autorais nos vídeos enviados por usuários. Identificando que uma música “protegida” está sendo utilizada em um vídeo, o dono dos direitos recebe do próprio Youtube os dados do vídeo e tem basicamente duas alternativas: bloquear ou monetizar o vídeo em questão (talvez você já tenha algo para o Youtube com uma música famosa e ele não apareceu, ou ficou mudo – é o ContentID funcionando “para o mal”). Se o dono dos direitos não bloquear e quiser abraçar a cultura do remix, como é o caso de “Harlem Shake”, a chance de sucesso pode ser boa.

Também segundo a Billboard, cinco dias depois viralização do primeiro vídeo, a INDmusic já havia automatizado o adsense em mais de 4 mil vídeos enviados por usuários diferentes, totalizando mais de 30 milhões de visualizações. Para facilitar ainda mais para o artista, o ContentID coloca automaticamente o link para a compra da música no iTunes e eMusic.

Mas o grosso da grana mesmo vem da publicidade: o adsense é uma forma de pagamento por acesso a um conteúdo que faz bastante sentido especialmente para quem tem vídeos com alto número de visualizações. Cada mil views valem $2, cerca de R$ 4, segundo a New York Magazine, que fez umas contas com relação à quantidade de dinheiro que Psy, outro grande fenômeno do Youtube, receberia pelas visualizações do sucesso “Gangnam Style”. A estimativa foi de que o coreano recolheria mais de 8 milhões de dólares graças ao Youtube.

Voltando para o caso do “poperô” do Baauer, as expectativas são as melhores. A busca pelo termo “Harlem Shake” no Youtube tem mais de 45 mil resultados até a publicação deste post e há diversos vídeos com número alto de visualizações, como o “Harlem Shake (Late Night with Jimmy Fallon version)”, com mais de um milhão de views. O meme explodiu de fato há apenas uma semana, como mostra o pico de buscas por “Harlem Shake” no Google, e ainda deve reverberar por algum tempo. Portanto, Baauer e a Mad Decent têm bastante motivo para comemorar desde já.

Enquanto isso, aqui nós comemoramos esse aperto de mãos da indústria da música com a internet assistindo algumas das melhores versões de Harlem Shake:

The Harlem Shake v2

Harlem Shake (Grandma Edition)

Harlem Shake (original army edition)

Harlem Shake (Matt and Kim Edition)

UGA Men’s Swim & Dive Harlem Shake

Harlem Shake (The Colbert Report Remix)

The Hollywood Harlem Shake (Movie Theater)

The Harlem Shake – David Hasselhoff Edition

The Harlem Shake Beanie Baby Edition

Harlem Shake (Late Night with Jimmy Fallon version)

Harlem Shake: Twin Peaks Edition feat. Kyle MacLachlan

some random quote lost in here.